Rodrigo Campos

Rodrigo Campos

RODRIGO CAMPOS

NOVO DISCO / NEW ALBUM 2015: CONVERSAS COM TOSHIRO

PRÊMIO DA MÚSICA BRASILEIRA / ARTISTA REVELAÇÃO 2013

Compositor e instrumentista, Artista Revelação no Prêmio da Música Brasileira 2013, Rodrigo Campos, começou tocando cavaquinho e percussão nas rodas de samba de São Mateus, periferia da cidade de São Paulo, lugar onde cresceu. Iniciou a compor aos doze anos de idade.

Em 2009, lança seu primeiro disco solo, São Mateus Não é um Lugar Assim Tão Longe (Ambulante Discos), produzido por Beto Villares. Um disco predominante de sambas, que logo em sua estreia mostra de forma profunda sua linguagem única como compositor, músico e cronista. O disco lhe traz o reconhecimento da crítica e ganha destaque como um dos melhores discos de 2009.

Seu segundo disco solo, o Bahia Fantástica, de 2012, marca uma ruptura com o samba para abraçar o amplo universo da música brasileira, até fazer incursões no soul americano. O álbum recebe ótimas críticas nos principais veículos de imprensa brasileiros e até fora do Brasil como no jornal The New York Times, além de lhe render o prêmio de Artista Revelação.

Em seu terceiro disco, Conversas com Toshiro (YBmusic), lançado em 2015 e contemplado pelo programa Natura Musical, Rodrigo Campos explora um novo espaço, o Japão. Com produção musical do próprio Rodrigo e direção artística de Rômulo Fróes, o trabalho é uma investigação sobre a consciência oriental, com interpretações sobre amor, sexo, vida e morte, e sua influência no inconsciente da cidade cosmopolita de São Paulo – uma fusão entre oriente e ocidente.

Além do seu trabalho solo, Rodrigo colabora, como compositor, arranjador e instrumentista, com vários artistas de sua geração, assim como com lendas da música brasileira: Criolo (‘Duas de Cinco’ – 2014), Juçara Marçal (Encarnado – 2014), Vicente Barreto (Cambaco – 2015), Tom Zé (‘Pour Elis’ – 2014, com participação de Milton Nascimento), Elza Soares (A Mulher do Fim do Mundo – 2015), dentre outros. Também é integrante do Passo Torto, projeto desenvolvido em colaboração com os compositores Kiko Dinucci e Romulo Fróes e o contrabaixista Marcelo Cabral, que já conta com três discos lançados. Além disso, Rodrigo Campos assinou a direção musical do projeto “Onze Sambas e Uma Capoeira” em 2014 no SESC Pompéia em homenagem a um dos maiores ícones do samba paulistano, Paulo Vanzolini e assumiu, em apresentação no SESC Santana em 2015, a releitura do disco Caça à Raposa de João Bosco dentro do projeto “75 rotações”.

BRAZILIAN GRAMMY / BEST NEW ARTIST 2013.

Sing-songwriter instrumentalist, nominated New Artist at the Brazilian Music Awards in 2013, Rodrigo Campos began his artistic life playing cavaquinho and percussion in the samba circles of São Mateus, the neighbourhood in Sao Paulo’s outskirts where he grew up. He started composing at the tender age of twelve.
Released in 2012, his second solo album, ‘Bahia Fantástica’ (YB music), achieved widespread recognition in both national and international media, including The New York Times, O Globo, O Estado de S.Paulo, Folha de São Paulo, Bravo, Rolling Stone and Vogue.With forays into Curtis Mayfield and Funkadelic’s soul sound, coupled with Rodrigo’s innate passion for Brazilian Music, he and the band build on riffs and grooves flavoured with Brazilian accents and melodic verve to establish the foundation out of which his songs are born. The track ‘Sou de Salvador’ (Portuguese: ‘I am from Salvador’) gained international recognition, being included on the CD compilation ‘Daora!’ on the British label Mais um Disco, and in ‘New Sounds’ for Songlines world music magazine in 2013. Recognised for the merit and importance of this work, he received Artist of the Year Award in Brazilian Music.

VIDEOS

NOVIDADES / NEWS